Progressistas querem as almas de nossas crianças

Nas últimas semanas a sociedade brasileira recebeu uma carga progressista maior do que em outros tempos. Não por acaso, pois estão muito atrasados em relação ao planejamento traçado já na época da fundação da UNESCO (http://bit.ly/2wyNBuC), em seu documento de constituição, por Julian Huxley, baseado nos princípios e teorias de psicopatas como Karl Marx, Friedrich Engels, Paul Lafargue, Vladimir Ilitch Ulyanov (Lenin), Karl Kautsky, Gueorgui Plekhanov e cia psicótica Ltda.

A mostra QueerMuseum (http://bit.ly/2kHM7dm) um ataque frontal aos valores sob os quais foi fundada a nossa sociedade e aos próprios cristãos, bem como a performance de Antonio Obá (http://bit.ly/2jy3oFq); “artista” responsável pela principal profanação em tal mostra (hóstias com escritos como ‘ânus’, ‘vagina’, ‘cu’ etc; palavras que em tal contexto perdem seu mero sentido gramatical e se transfiguram em arma semântica contra a cristandade); na qual entra pelado no recinto e rala a imagem de Nossa Senhora, terminaram de escancarar as portas da degradação moral e iniciaram a intensificação da agressão progressista.

Uma performance desprovida de beleza, mensagem crítica e espírito artístico, baseada no choque pelo choque e com a exclusiva intenção de agredir a fé de todos os cristãos. Ato de um ser desequilibrado e viciado no próprio ego.

Não tardou a que fossemos brindados com um ato tão ou mais repugnante e criminoso, do intitulado “artista” Wagner Schwartz, no Museu de “Arte” Moderna (MAM) de São Paulo (http://bit.ly/2hCmOoz). Schwartz deita nu e uma coreógrafa, sua amiga há 3 (três) anos e militante do Partido dos Trabalhadores (PT), Elizabete Finger (http://bit.ly/2x7nYCO), constrange sua própria filha (de quatro anos) a tocar nos pés e braços do homem pelado.

A questão no MAM não é a nudez em-si, mas a exposição de uma criança a nudez explícita de um homem adulto, podendo lhe causar danos psicológicos permanentes, pois a criança está em fase de formação cognitiva e de sua persona. Quando adulta, terá melhor compreensão do ocorrido, com o agravante de ter sido exposta à situação danosa justamente por alguém que tinha o dever de guardar seus direitos e protegê-la enquanto criança: a mãe.

Inclusive, a presença e cumplicidade da mãe no ato criminoso (vide artigo 247, inciso 4, do Código Penal Brasileiro, e a Lei 11.829/2008) é um agravante, e em hipótese nenhuma um atenuante, como os progressistas tentam impor a nós.

A repercussão do ‘Caso MAM’ chegou aos altos escalões da grande mídia; defensora e difusora da Agenda Progressista, tendo por seu ‘ápice’ a participação de uma idosa vinda das camadas populares, como parte da platéia, durante o programa ‘Encontro’, com Fatima Bernardes, ex-mulher de William Boner, âncora do Jornal Nacional; ambos programas da Rede Globo. A idosa ficou conhecida como Dona Regina, e explicitou os valores brasileiros (http://bit.ly/2gd6GwV) informando a alguns “artistas” presentes e à apresentadora, o cerne do problema: a exposição de uma criança à nudez explícita de um adulto. Foi tratada pelos presentes como portadora de alguma doença infecciosa, mas como orientara Lenin aos seus seguidores: acuse-os do que você é.

Por fim, próximo ao Dia das Crianças (que é comemorado todo 12 de outubro) empresas como Unilever, através de uma de suas marcas, o sabão em pó OMO (http://bit.ly/2yhUpgP), e o Carrefour (http://bit.ly/2i4ZEuw – post em 07 de outubro de 2017 na página do Facebook do Carrefour Brasil e deletado pelo mesmo em 11 de outubro de 2017, após reclamações da população), disseminaram propagandas em apoio à famigerada Ideologia de Gênero, que o Governo tenta empurrar goela abaixo dos brasileiros desde a presidência de Fernando Henrique Cardoso (PSDB), passando pelos ainda mais desastrosos governos de Lula e Dilma (PT), culminando no atual governo, de Michel Temer (PMDB), através da Base Nacional Comum Curricular (BNCC), construída e imposta pelo Ministério da “Educação” (MEC) (http://bit.ly/2z0fNVj).

Em todas as Câmaras Municipais e Assembléias Legislativas que tentaram alojar a Ideologia de Gênero nas grades educacionais de nossas crianças, tal projeto perverso foi rechaçado e barrado pelas manifestações e ações dos populares. O povo não quer, mas o Governo, as oligarquias partidárias, as ONG’s e seus financiadores internacionais (como a Oppen Socciety) e a Grande Mídia, querem a todo custo, pois a Agenda Progressista que desejam implantar depende da vitória dessa teoria nefasta, que atenta contra a racionalidade e as bases da nossa sociedade.

Nessa Guerra pelas almas de nossas crianças, o primeiro passo para vencermos é opor resistência e buscar organizarmos-nos em frentes locais, com franca cooperação entre as diversas localidades do pais.

A seguir, devemos agir em todos os níveis que forem precisos: familiar, religioso, judicial, cultural, moral, midiático, educacional, social, político, et caterva. Se necessário, até mesmo no nível físico, exclusivamente no exercício da Legítima Defesa

Ou vencemos esta Guerra Assimétrica (mesmo com os principais meios de ação e espaços em mãos dos Progressistas [comunistas, globalistas, islâmicos, etc.], por enquanto), ou perderemos as almas, mentes e corações de nossas crianças, de nós mesmos e do Brasil; da Terra de Santa Cruz.

 

Roberto Lacerda Barricelli
CEO & Founder do Instituto Visconde de Cairu e Consultor da Editora Libertar. Autor do livro "Em Defesa da Vida" e ativista pró-Vida.

Jornalista e especialista em economia, política e historia (brasileira, do pensamento econômico, política e do totalitarismo). Diretor de Jornalismo na Liga Cristã Mundial.

Estudos avançados em filosofia, principalmente nas escolas Estoica, Grega/Clássica, Romana/Latina, Escolástica, Jusnaturalista, Alemã (idealismo e estética e socialismo científico), Francesa (liberalismo e socialismo utópico), Inglesa (liberalismo, utilitarismo, empirismo, socialismo utópico e contratualismo), Russa (social democracia), Marxismo/Comunismo e Austríaca.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *